Storytelling para lançamento de infoprodutos

Se estás a ler este artigo depois de Junho de 2020, é bem possível (ou quase impossível) que já tenhas participado no lançamento de um infoproduto.

Com a pandemia Covid-19, existiu um crescimento exponencial no mercado de lançamento de infoprodutos e em tudo o que está relacionado com educação online.

O facto de várias pessoas darem por si sem trabalho, ou sem querer voltar aos horários fixos ou mesmo ao escritório, fez com que a procura por conteúdo direto ao ponto e que seja prático crescesse.

A Bizy tem trabalhado em vários lançamentos de sucesso desde Julho de 2020 e, em mais de 30 lançamentos (até Agosto de 2021), a taxa de sucesso e lucro é superior a 90%.

Desde o primeiro lançamento, temos aprendido sempre cada vez mais sobre o mercado e sobre o que faz com que as pessoas comprem infoprodutos.

Neste artigo, queremos partilhar contigo aquele que se tornou o segredo e a jóia dos bons resultados: o storytelling.

Especificamente, o storytelling para lançamento de infoprodutos.

Lançamento de infoprodutos ao estilo Bizy

Já temos conhecimento em 5 tipos de lançamentos, dos quais já aplicamos 3: Express, Marinesco, Semente simples.

De uma forma muito sumária, o Express permite que em 10 dias o produto seja lançado sem um investimento muito grande por parte do especialista.

É excelente para demanda reprimida e para produtos de baixo valor.

O Semente Simples foi aplicado e aprendido numa live que o Pedro Sobral, mentor de tráfego da Marisa, fez.

Em suma, ensina como fazer um lançamento semente com baixo investimento (até 400€).

O Marinesco é da autoria da Marina Ulhôa, mentora da Marisa, e é um semente mais acelerado e implica, sempre que possível, um investimento de 250-450€ em tráfego pago (pelo menos).

É o mais escalável e, por isso, o mais aplicado por nós.

No entanto, ele não é replicado conforme a mentora ensina.

Após algumas práticas, fomos dando o nosso toque ao lançamento e a a algumas particularidades do mesmo.

Essas particularidades foram aprendidas pelo (também) mentor da Marisa Leandro Aguiari, que já trabalhou em mais de 120 lançamentos (até Agosto de 2021).

O Leandro constrói todos os lançamentos usando storytelling e é precisamente com storytelling que temos melhorado os resultados de todos os lançamentos em que participamos, seja como estrategistas, como especialistas em email marketing, ou como gestores de tráfego pago.

O nosso tipo de lançamento preferido para aplicar é precisamente a mistura entre o Marinesco e a estrutura de storytelling ensinada pelo Leandro Aguiari.

Porquê criar esta mistura?

Se é a tua primeira vez a fazer o lançamento de um infoproduto, o nosso conselho é que sigas o passo a passo que te ensinaram à risca.

Só assim vais saber o que funciona para ti e para o teu público-alvo.

E esta é a principal razão de nós gostarmos desta mistura: porque já vimos o que funciona.

Storytelling para lançamento é o ingrediente que faltava no Marinesco e é o que hoje faz dele um lançamento (quase) impossível de dar errado.

Na prática, ele já tinha um pouco. Mas não tinha a narrativa.

O fio condutor que leva alguém de não consciente a consciente.

É aí que surgem os ensinamentos do Aguiari e do Storytelling.

Storytelling para lançamento de infoprodutos

O storytelling para lançamento de infoprodutos não é algo que seja assim tão difícil de criar.

Desde que o especialista saiba qual é a Jornada do Herói.

Como numa história, um lançamento precisa de fazer os espectadores sentirem-se parte da história, para que se consigam relacionar com a mesma.

Por exemplo, não faz sentido vender um curso de inglês sem explicar as vantagens de ter o curso e ainda as desvantagens de não o ter.

Mas fazê-lo de uma forma mais emocional que racional.

Exemplos:

  • Aprender inglês para ter melhores oportunidades de trabalho;
  • Aprender inglês para ir viver para o estrangeiro e não ficar embaraçado porque não se consegue nem safar para andar de autocarro;
  • Saber inglês para trabalhar com o mercado estrangeiro e conseguir melhores rendimentos;
  • Etc.

Todas aquelas situação geram conexão com o público-alvo ideal.

Pessoas que querem melhores oportunidades de trabalho já ouviram de alguém que deviam saber inglês. Mas ainda não sabem! E têm vergonha de estar numa sala de explicações ou apoio ao estudo e serem os únicos adultos no meio de crianças.

Pode ser considerado humilhante para a pessoa e, por isso, comprar o curso de inglês online, que é mais barato inclusive, é uma boa alternativa.

Trazer história ao lançamento vai melhorar as hipóteses de venda, o custo por lead, e ainda a fidelização e conexão com o especialista.

Como aplicar storytelling em lançamento de infoprodutos

Para saber como aplicar, é preciso entender que existem diferentes partes de um lançamento.

Aumento de consciência

Nesta fase, não só trabalhamos o aumento de consciência como o estado de consciência.

Esta é a fase em que se questiona a audiência (caso ela exista) dos problemas que tem e se entende qual é o tipo de comunicação que gera mais interação.

Nesta fase, faz-se distribuição de conteúdo a quem não conhece ainda o negócio, ou a quem já não interage há mais de 3 ou 6 meses.

O storytelling para lançamento começa aqui. Começa na forma como criamos o conteúdo e como o distribuímos.

É comum (e aconselhável) experimentar-se diferentes audiências frias (pessoas que não nos conhecem) para entender qual delas interage mais também.

É, depois, com este conhecimento que começamos a criar a nossa narrativa para o evento.

Narrativa

narrativa nos lançamentos

A narrativa tem algumas questões que precisam de resposta:

  • Qual é a Big Idea? O grande problema que queremos resolver?
  • A partir daí, qual a narrativa do lançamento? Quem é que vai participar no evento?
  • Qual é o personagem que vai enfrentar a Big Idea? Um grande lançamento do Aguiari que teve como personagem o Medo (o sentimento, sim).

A partir daqui, o storytelling no lançamento começa a tornar-se cada vez mais visível e palpável.

E está pronto para ser testado.

Captação

A captação não deve decorrer por menos de 10 dias e, sempre que possível, deve ser alargada até 20 dias.

Os anúncios de captação são o grande teste da narrativa do lançamento.

Se estiver errada ou confusa, o lead é caro e não é tão qualificado.

Uma boa forma de qualificar as leads é enviando um questionário logo no email de confirmação do evento. Aí vais passar a perceber o tipo de pessoas que se inscreve e se são aquelas que querias mesmo captar.

Usa diferentes tipos de anúncios:

  • Stories
  • Vídeo no Feed
  • Imagem
  • Carrossel

Pré-lançamento

A pesquisa que fizeste na captaão dão-te todo o storytelling de que precisas para nutrir as leads, para gerar desejo pelo produto, e para criar um super pitch de vendas.

Ao longo de todo o período de captação, e também nas lives/aulas, é importante reforçar a importância do evento, o problema que resolve, e indicar o evento como solução.

Nesta fase, entra novamente o storytelling. Para chamar novamente o lado emocional e preparar as pessoas para ficar de cartão na mão na altura de comprar.

Abertura de carrinho

O carrinho pode ser aberto logo no final da live/aula, ou no dia seguinte.

Independentemente da altura, o storytelling para lançamento ainda não acabou.

A abertura de carrinho é um processo emocional para toda a gente: para quem investe no teu produto, e para ti, que estás a dar as boas-vindas às pessoas.

Deves continuar a assegurar a narrativa, ao mesmo tempo que reforças a tua autoridade no assunto e capacidade para solucionar o problema que prometeste solucionar.

Conclusão

Storytelling está, como já dissemos várias vezes, presente em tudo o que envolva compras.

As pessoas compram de forma emocional e tentam justificar de forma racional.

A história, ao permitir uma conexão mais emocional entre ambas as partes, torna-se um ingrediente soberbo para qualquer lançamento de infoproduto.


Queres receber as nossas newsletters semanais? Preenche o formulário abaixo. Podes cancelar a qualquer momento.

.

Deixe um comentário