fbpx

Refletir sobre 2020 e Planear 2021

Qualquer que seja a perspetiva sob a qual se olhe para 2020 a verdade é que foi um ano completamente atípico.

Se para uns foi bom, para outros foi terrível.

Mas queremos acreditar que foi um ano, sobretudo, de adaptação e mudança, sendo que agora é fundamental olhar para o ano que passou e planear 2021.

Ao refletir sobre 2020 vemos que nos presenteou com:

  • Uma pandemia global
  • Economias a colapsar
  • Uma crise climática que não tem fim
  • Episódios de desigualdade racial…

Mas sempre que os desafios são muitos, o ser humano reage, com criatividade e resiliência.

Surgem soluções para antigos problemas, novas ideias brotam de mentes até então adormecidas.

E vem-nos à ideia a teoria de Charles Darwin, em que “aquele que sobrevive não é necessariamente o mais forte e, sim, o que melhor se adapta às condições do ambiente em que vive.” (fonte: BBC).

A terceira década do século XXI vai ser marcada pela mudança.

Mudança de perspetivas, de paradoxos, de mentalidades, de formas de estar e de trabalhar.

Mas, para tal, temos de refletir sobre o que se passou até agora e planear 2021.

Refletir Sobre 2020

O mundo empresarial é um ecossistema diversificado.

Mas é um ecossistema recheado de grandes e pequenos elementos, e, se há algo que temos de ter em conta, é que o que importa não é o tamanho do negócio.

Por vezes, quanto maiores as empresas, maior a dificuldade em colocar um travão na estratégia adotada e adaptar a uma nova realidade.

E, por outro lado, também acontece haver, nas pequenas empresas, uma resistência à mudança e um agarrar ao passado por ser “o que sabem fazer”.

No entanto, há que manter a agilidade de modo a poder sobreviver e alterar, se necessário, a nossa visão estratégica de atuação e expansão.

refletir sobre 2020
Foto de Kelly Sikkema no Unsplash

Muitas empresas tiveram de agir rapidamente de modo a evitar o colapso perante as condicionantes da sua atividade, outras não o conseguiram fazer e acabaram por ter de fechar.

Criámos novas rotinas, aprendemos a trabalhar a partir de casa e a partilhar a sala com o escritório e a sala de aula, desenvolvemos mecanismos para evitar distrações, encontrámos novas formas de entretenimento.

Vimos o comboio da transformação digital acelerar e quer grandes empresas quer pequenos negócios adaptar-se a uma nova realidade.

A pandemia provocou uma alteração no comércio eletrónico de uma forma que não se tinha ainda visto até agora.

Com os repetidos confinamentos, muitas lojas tiveram de fechar as portas físicas.

Outras reinventaram-se e/ou reforçaram a aposta no comércio eletrónico para que as suas portas digitais continuassem abertas.

Os números divulgados pela ACEPI no Portugal Digital Summit ’20 estimam que o valor do comércio eletrónico B2C + B2B em 2020 seja de 110,6 mil milhões de euros, 15% acima do registado em 2019.

Estes valores foram alavancados pelo impacto da pandemia, que mudou profundamente os hábitos dos consumidores e obrigou à transformação de empresas e negócios.

Para além disso (fonte: ACEPI):

  • “Mais de metade dos utilizadores de internet já fez compras online (51%) em 2019, estimando-se que, esse valor cresça para 57% em 2020, devido à pandemia.
  • Cerca de 60% dos compradores online afirmam ter aumentado o valor das suas compras através da internet.
  • A intensidade de compras na Internet aumentou com 73% dos compradores online a fazer em média mais do que 3 a 5 vezes compras por mês.
  • Compra-se agora mais em lojas online portuguesas e menos em sites estrangeiros, o que terá também a ver com a existência de mais lojas online portuguesas.
  • A percentagem de empresas com presença na Internet é agora 60% do número total de empresas, sendo que no estudo anterior (2019) apenas 40% das empresas tinham presença online. Este crescimento, muito significativo, deve-se sobretudo ao aumento da presença na internet das micro e pequenas empresas (que representam a maioria do tecido empresarial português), face ao ano anterior, respetivamente de 30% para 48% e de 53% para 76%.”

Ou seja, mesmo no meio de uma tormenta é possível ver que há potencial de crescimento e de expansão.

Basta que estejamos abertos a explorar novas áreas!

Planear 2021

planear 2021
Foto de Markus Spiske no Unsplash

Indivíduos e empresas, todos vamos ter de nos adaptar a uma nova realidade em 2021.

Novos hábitos vão estar enraizados, novas formas de comunicar e de trabalhar (online e/ou remotas). E começamos, ainda em 2020, a ver algumas tendências.

O trabalho remoto vai continuar a evoluir

Se há anos tínhamos o “teletrabalho”, atualmente temos o “trabalho virtual”, “trabalho remoto”.

E o “work from home” (trabalhar a partir de casa) também já entrou no nosso dia a dia (veja aqui algumas dicas para se manter ativo enquanto trabalha, mesmo que o faça de casa!).

As empresas vão poder ser categorizadas de acordo com a quantidade de teletrabalho que permitem às suas equipas.

Desde as empresas distribuídas (totalmente remotas) às híbridas (com opções de trabalho on site e remotas), vamos ver uma evolução da linguagem do trabalho remoto.

O consequente aumento do trabalho remoto

Como referido no ponto anterior, haverá empresas a optar por diferentes abordagens ao modo de trabalho.

Mas é inegável que a força de trabalho remota tem vindo a crescer nos últimos anos, seja através de trabalhadores independentes ou funcionários que fazem parte de equipas remotas.

Assim, o trabalho remoto deixa de ser apenas para alguns e passa a ser para todos.

Todos os funcionários de uma empresa podem trabalhar remotamente, não estando esse privilégio reservado a gestores e executivos.

De acordo com um estudo do IWG, 70% dos profissionais em todo o mundo trabalham de algum modo, remotamente.

Aplicações de controlo de tempo e ferramentas e comunicação vão ser cada vez mais populares

Haverá opiniões diversas relativamente à utilização de aplicações e outras formas para controlo de tempo.

No entanto, para muitas empresas, a solução para a supervisão dos seus trabalhadores passará pela gestão de horas.

Mais ainda, se planear 2021 significa optar pelo trabalho remoto, naturalmente tem de se incluir um planeamento do modo de comunicação da empresa.

Se quiser que o seu negócio continue a progredir enquanto os seus funcionários trabalham à distância, deve assegurar uma comunicação constante entre si e a sua equipa remota, ou o seu cliente.

Gestão Remota de Projetos

Também se torna impossível pensar em planear 2021 sem pensar em ferramentas de gestão de projetos que permitam uma colaboração remota.

Gerir e organizar projetos para trabalhadores à distância é mais complicado do que organizar projetos no local de trabalho.

Por isso, é necessário usar ferramentas que possam ajudar a especificar tarefas para diferentes trabalhadores remotos, partilhar informação e receber feedback, sem qualquer confusão.

Proteção de dados estará na ordem do dia

Qualquer trabalhador remoto tem de garantir a segurança dos dados dos seus clientes e/ou empresa.

Há diversas soluções para o conseguir, de que já falámos neste artigo.

Preparar e Planear 2021

2020 foi, sem dúvida, um ano diferente, mas no bom sentido! Permitiu-nos olhar para nós próprios e crescer.

O próximo ano pode (e vai) trazer novos desafios, logo, temos de refletir sobre 2020 e planear 2021 na medida do possível.

Dizemo-lo desta forma porque de 2020 nos ensinou alguma coisa foi que planos de nada servem sem alternativas e sem adaptação.

Logo, devemos planear 2021 criando, desde já, mecanismos que permitam uma rápida adaptação às mudanças que já conhecemos.

Sabemos de antemão que 2021 trará consigo um mundo (ainda) mais online, (ainda) mais remoto, com a abertura de inúmeras possibilidades para empreendedores, e com uma nova perspetiva sobre o trabalho e vida pessoal.

No seu caso, e se ainda está reticente, porque não começar já a planear 2021 aprendendo a criar o seu negócio online? Ou a trazer o seu negócio atual para o online?

O nosso 2020 está muito longe do que foi planeado, mas isso não foi necessariamente mau.

2021 promete trazer ainda mais e melhores conquistas!

Planear 2021 aqui na Bizy assentou em 3 coisas:

  • Onde queremos estar no final de 2021
  • O que precisamos para chegar até lá
  • Que pequenas metas tempos de cumprir e em que tempos

Sabemos que no final de 2021 queremos ter alguns produtos digitais à venda (e revenda) perpetuamente. Ou seja, sem necessidade de lançamento constante desses infoprodutos.

Sabemos, também, que queremos consolidar (ainda mais) a nossa equipa para que possamos ter grande parte do nosso trabalho delegado e nos possamos focar naquilo de que realmente mais gostamos: comunicação e formação.

Logo, para atingir esse objetivo máximo, sabemos que temos de passar por algumas fases (que se tornam os nossos objetivos a médio prazo):

  • Criação dos produtos digitais que queremos à venda e/ou sua melhoria;
  • Páginas de venda para os respetivos produtos e estratégia de tráfego pago para os mesmos;
  • Implementação de estratégia de comunicação nas redes sociais para esse produto;
  • Melhoria dos processos e procedimentos de toda a equipa, começando por nós mesmas e pela nossa própria aprendizagem;
  • Melhoria na delegação de tarefas.

Cada fase tem o seu timing e a sua implementação e aprendizagem.

E cada fase pode ser adaptada a tudo o que de novo surja.

Mas todas elas devem ser tratadas com o devido cuidado para que este nosso planeamento se torne bem sucedido e não apenas um papel vazio com um título interessante.

E você? Como será planear 2021 a nível pessoal e profissional? Partilhe connosco nos comentários 🙂

Deixe um comentário