Mulheres Empreendedoras: à conversa com Livia Gomes

Tempo de Leitura: 4 minutos

Histórias reais de mães reais.

Todas as histórias merecem ser partilhadas.

A Bizy teve a honra de entrevistar mais de uma dezena de mulheres empreendedoras que partilharam connosco a sua história: as partes boas, as partes menos boas, e as partes incríveis.

A Livia Gomes tem 39 anos, é de Espinho, e é a fundadora e blogger do projecto Mãe Real.

Mas não é só isso…

A Lívia tem 1001 profissões! É “mãe, mulher, empresária, autora, entrevistadora, blogger, enfermeira, médica, taxista, cozinheira, educadora, professora, apaziguadora (!?)

A Lívia partilhou connosco a razão por detrás do projecto Mãe Real e é uma verdadeira força da Natureza que demonstra que não há desculpas quando o que queremos é seguir o nosso sonho.

Mulheres Empreendedoras: um resumo da conversa com Livia Gomes

O projecto Mãe Real surgiu em 2018, pouco depois de a Lívia ter sido mãe pela segunda vez, e é um local de partilha de experiências online para todas as mães de Portugal.

Esta história e entrevista é-nos particularmente especial na forma como demonstra como é possível ser-se mãe, mulher, empreendedora e feliz ao mesmo tempo,

Nós, mulheres, somos educadas para saber fazer de tudo um pouco. (…) E quando nos tornamos mães, todas essas “profissões” e “funções”, surgem de repente e nós nem estranhamos. De repente não somos só mulher, empreendedora, mãe, etc. (…) A verdade é que quase que diria que já está nos nossos genes.

Ainda há muitas mulheres que pensam que têm que se dedicar aos filhos e à vida de família e que por isso não devem ser empreendedoras ou seguir outros sonhos porque não vão ter tempo.

A Lívia tem uma opinião formada acerca do assunto:

É possível conciliar tudo. (…) É importante ter apoio. Ter um companheiro que nos ajude e que saiba que tem tarefas dele. (…) E se não tivermos este apoio se torne muito difícil.

Acredito que para mães solteiras seja mais complicado desempenhar estas tarefas. Não tendo companheiro, convém ter sempre algum suporte por trás, seja a avó, uma amiga, um grupo de amigas ou conhecidas numa rede social, como num grupo de mães…

Quando perguntamos em que momento a Lívia se apercebeu que não estava feliz, respondeu imediatamente que a maternidade teve um grande papel nisso.

Trabalhava numa multinacional e comecei a sentir cada vez mais pressão. Estava sempre a existir uma reestruturação de equipas e cada vez éramos menos pessoas, mas com mais trabalho. (…) Eu visto a camisola da empresa e sacrifico-me muito por isso e cheguei a um ponto em que estava esgotada.

Essa situação mexeu com ela a todos os níveis e teve um papel crítico nos nossos sonhos, porque estava a impedi-la de engravidar novamente.

Gostava do trabalho que fazia, mas não valia a pena pelos problemas físicos e psicológicos que causava.

Quando me perguntaram como resolvi essa parte da minha vida eu só digo: “Foi fácil. Despedi-me e engravidei!

E por que outras dificuldades passou a Lívia quando criou a Mãe Real?

O maior entrave foi ter que me re-educar a trabalhar sozinha. E também tive que aprender lidar com as pessoas online. (…) O que vi muito foi mães que se atacavam mutuamente. Muitas porque se achavam melhores que as outras.

Quando perguntamos à Lívia se alguma vez pensou em desistir por causa das adversidades, a resposta imediata: Não.

Eu sou teimosa! Eu sempre gostei de partilhar experiências e os meus gostos. (…) E o Mãe Real tem de tudo um pouco. É um investimento de muito tempo pessoal. (…) Se tiver que fechar o Mãe Real será porque penso que já não tenho nada a dizer.

A minha maior conquista com este projecto foi tempo. Todos os anos, no final do ano, eu dizia “vou passar mais tempo com o meu filho”, mas não conseguia. E agora consigo.

Qual é o futuro do projecto Mãe Real?

Trazer outras mães – mães reais, com histórias reais – e entrevistá-las para que possam ajudar outras mães. E outros profissionais que ajudem a comunidade também. (…) Quero mostrar às outras mães que não estão sozinhas e que há uma luz ao fundo do túnel.

O conselho da Lívia para quem quer começar um negócio:

Têm que pensar muito bem qual o rumo desse projecto, com objetivos a curto, médio e longo prazo. Porque ter muitos projectos e querer que tudo se realize ao mesmo tempo é muito difícil. Temos que saber quais são as nossas prioridades.

A maior parte das mulheres que se iniciam neste meio começam a fazê-lo ainda a trabalhar por conta de outrem. e têm que aproveitar todos os momentos possíveis para trabalhar no seu próprio projecto e isso só é possível com apoio.

(…) É muito importante estar em sintonia com o parceiro e fazê-lo entender que há aqui um projecto, o que pretende com este projecto e o que pretende do parceiro. E como é que ele pode ajudar.

Ser organizada. É muito importante ser organizada. Eu gosto muito de listas, por exemplo. E levar um dia de cada vez, fazendo o trabalho que está planeado e sem desanimar.

A Lívia foi uma convidada fantástica e partilhou tudo connosco. Só temos a agradecer a forma tão simpática, transparente e alegre como nos recebeu e deixou todas as cartas na mesa.

O projecto Mãe Real lida com uma temática sensível. E, como vimos, nem tudo na internet é ouro e há pessoas mal intencionadas.

Mas é nas adversidades que se encontra a maior força. Porque, como ela disse, é impossível vencer alguém que não desiste.

Se ficou com vontade de partilhar as suas histórias como mãe e mulher, visite a Mãe Real no Website, Facebook e Instagram.

2 Comentários

  • Lívia Gomes
    Posted 22/09/2020 13:32 0Likes

    Obrigada Bizy por esta iniciativa e por esta conversa tão boa!
    Que venham mais conversas! Que venham mais mulheres empreendedoras!

    • Bizy
      Posted 22/09/2020 14:36 0Likes

      Olá, Lívia 🙂
      Obrigada por nos teres dispensado um pouco do teu tempo. Foi uma conversa incrível e que certamente vai inspirar mais mulheres 😀
      Votos de muito sucesso,
      A Equipa Bizy

Deixe um comentário

Olá 👋 Podemos ajudar?