Mulheres Empreendedoras: à conversa com Sofia Martins

Tempo de Leitura: 7 minutos

Contar a vossa história no papel.

Todas as histórias merecem ser partilhadas.

A Bizy teve a honra de entrevistar mais de uma dezena de mulheres empreendedoras que partilharam connosco a sua história: as partes boas, as partes menos boas, e as partes incríveis.

A Sofia Martins tem 27 anos, é de Guimarães, e é a fundadora e designer da Histórias em Papel.

A HISTÓRIAS EM PAPEL é um atelier de design gráfico especializado em estacionário de Casamento. No entanto, criam peças para todos os momentos (eventos) que merecem ser celebrados.

Para além da criação de convites, desenvolvem um alargado conjunto de peças: menus, marcadores de mesa, marcadores de lugar, seating plan, missais, entre outros.

A Sofia partilhou connosco alguns dos desafios e conquistas da sua história, que hoje contamos em “papel digital”. Sem esquecer os conselhos tão bons que também nos deixou!

Mulheres Empreendedoras: à conversa com Sofia Martins

mulheres empreendedoras Sofia Martins
[Bizy] Como é que surgiu esta ideia? Porquê convites e estacionário?

[Sofia, Histórias em Papel] Eu sou designer gráfica e desde 2019 que eu e a equipa estamos a tempo inteiro na Histórias em Papel. Já fazia convites e estacionário enquanto trabalhava noutra empresa, mas só como um extra. Não foi algo que comecei como iniciativa própria, mas foram-me pedindo e o bichinho começou a crescer.

Comecei a receber bastantes pedidos de amigos e conhecidos, que depois diziam a outros amigos e conhecidos, até ao momento em que deixamos de conseguir conciliar com o outro trabalho que tinha.

[Bizy] Porquê o nome Histórias em Papel?

[Sofia, Histórias em Papel] Antes de deixar o outro trabalho já tinha ideia de seguir com este projecto. A primeira coisa que tinha que definir era o conceito e o nome para a empresa. Então comecei a “rabiscar” e na equipa todos gostamos deste.

O que defendemos é que vamos contar a vossa história e passá-la no papel – daí o nome!

E tentamos pôr a essência do casal – a sua história – no convite. Quando depois apresentamos propostas e eles vão dando ideias para retocar, vamos conhecendo melhor os seus gostos e a sua história.

[Bizy] Focam-se apenas nos convites e restante estacionário ou também na decoração?

[Sofia, Histórias em Papel] O convite é a primeira peça a ser desenvolvida e produzida e irá definir a imagem gráfica para o GRANDE DIA. Por esse mesmo motivo, as restantes peças do estacionário devem respeitar o design do convite de forma a garantir uma imagem coesa.

Também há noivos que já têm convites e procuram a Histórias em Papel para as restantes peças. Nesse caso, adaptamos as novas peças ao modelo que já foi criado no convite. Damos continuidade a esse trabalho.

No que respeita à decoração, não fazemos decoração propriamente dita. Vai estar presente, inevitavelmente, na forma de um seating plan, por exemplo. Damos dicas de tipos de flores, enquadramento com outros elementos, mas damos apenas acompanhamento 😊

[Bizy] Tu e a restante equipa trabalham só online e em home-office. Como foi falar com noivos que estavam habituados a um espaço físico?

[Sofia, Histórias em Papel] Nenhum de nós sentiu que o facto de não termos escritório aberto ao público nos prejudicasse. Toda a equipa é de Guimarães e os nossos clientes são de longe, muitos deles de Lisboa – o que dificultava logo esse tipo de reuniões.

Tivemos alguns noivos que nos perguntaram onde era o escritório e, nessas alturas, combinávamos uma reunião presencial num espaço comum.

Nunca foi mesmo um problema. O nosso método é produzir uma amostra, apresentar aos clientes até que aprovem, e depois enviar.

Num futuro, talvez seja o próximo passo a dar. Sabemos que podemos chegar a outras pessoas, porque têm curiosidade, etc.. Mas não é prioritário.

[Bizy] E online só estão nas redes sociais, certo? Não têm website e mesmo assim conseguem ter sucesso e inclusive chegar a pessoas de longe.

[Sofia, Histórias em Papel] Sim, sem dúvida. O foco são as redes sociais, que são gratuitas (excepto quando fazes publicidades), e não fazia sentido lançar logo um website. O website será um próximo passo – mais rápido que o espaço físico. Mas não fazia sentido logo no início.

[Bizy] Disseste, na pré-entrevista, que as coisas correram um pouco melhor que esperavas. Mas quais foram as maiores dificuldades por que passaste desde que te focaste na Histórias em Papel?

[Sofia, Histórias em Papel] Antes de deixar o meu full-time, já tinha um plano traçado, com objectivos definidos. Então, basicamente, deixei o meu emprego numa altura em que já tinha uma imagem criada, o plano feito, e isso ajudou muito!

Os meus objectivos eram a curto prazo, no “vamos ver no que isto dá”, porque no início é sempre assim.

Mas depois começamos a expor a Histórias em Papel nas redes sociais, começamos a crescer e tivemos uma evolução realmente muito boa.

No final de 2019 já tínhamos uma boa rede de clientes. Porque, como expliquei, os noivos normalmente procuram a Histórias em Papel pelos convites, mas o contacto mantém-se, pois com o aproximar da cerimónia surgem outras necessidades. E, com isto, conseguimos criar uma boa base de dados de clientes.

mulheres empreendedoras sofia martins
[Bizy] Desde o início dos inícios, ainda quando tinhas o full-time, nunca pensaste em desistir?

[Sofia, Histórias em Papel] Há dias menos bons, claro. Porque quando estamos tão empenhados inicialmente, e apesar de já ter portfolio, as coisas não acontecem de um dia para o outro. No online as coisas podem, por vezes, demorar um pouco mais a ganhar confiança das pessoas.

Mas tracei objectivos desde o início e isso ajudou imenso. Estava com os pés assentes na terra e sabia que não ia ser de um dia para o outro. Então estipulei que até final de 2019 teria de ter um bom crescimento, caso contrário seria necessário reavaliar.

[Bizy] Isso é muito importante, estabelecer objectivos. Como disseste, e bem, ajuda a manter os pés na terra, mas também ajuda na criação de metas para sabermos onde queremos chegar. E penso que isso ainda falta muito nos empreendedores. Concordas?

[Sofia, Histórias em Papel] Sim, sem dúvida! E temos de estabelecer objectivos reais, atingíveis, para que não desmotivemos. Temos de ser realistas. Estamos a começar uma nova marca.

Uma coisa é começar com amigos, outra é chegar a desconhecidos. É um processo que demora o seu tempo e isso foi uma das coisas que aceitei logo de início.

[Bizy] Quais foram as maiores conquistas? Aquilo em que disseste “isto foi espectacular!”

[Sofia, Histórias em Papel] Foi no final do ano passado, quando atingi o meu objectivo de ter na Histórias em Papel a minha forma de viver livremente e com algo que adoro fazer. Foi a melhor coisa que podia ter acontecido!

É muito bom podermos fazer aquilo de que gostamos. É como a famosa frase: faz o que gostas e não trabalhas 1 dia na vida.

Isso é mentira, porque ainda trabalhas mais! Mas fazes com gosto e não custa nada.

[Bizy] E os teus planos para o futuro? Tens timings para o website ou a loja física?

[Sofia, Histórias em Papel] Não tenho planos. Porque neste período em que tivemos abrandamentos, foquei-me em procurar alternativas de fornecedores para poder dar melhores respostas. E não pensei muito nisso. Mas sei que o website vem primeiro.

O espaço físico será algo mais como um showroom, para algumas reuniões. Não conseguimos ter uma porta aberta para receber pessoas porque estamos muito focados no trabalho, logo, teria de ser sempre por marcação.

[Bizy] O que falta agora para darem o passo para o website?

[Sofia, Histórias em Papel] Dedicar-me a 100% a esse lançamento. Continuar a trabalhar a imagem da Histórias em Papel, pensar e desenvolver um website de que realmente gostamos. Portfolio, como já disse, temos bastante, mas falta-nos apenas pôr em prática.

A entrevista estava a chegar ao fim. Mas não termina sem o conselho da Sofia Martins para mulheres empreendedoras:

Vou usar o meu exemplo: é importante traçar objectivos bem definidos. Foi a parte mais importante para a Histórias em Papel ter o sucesso que tem hoje e que me permite viver disto a full-time.

Porque tínha um trabalho a tempo inteiro e não decidi criar isto do dia para a noite. Para quem tem essa oportunidade, tracem planos e definam objectivos para conseguirem criar uma imagem coerente, com metas e timings bem traçados antes de pôr alguma coisa em prática.

Baseio-me na minha experiência – que correu bem – e é o conselho que posso dar. Tem de se manter coerência na comunicação, porque de nada vale ter coisas bonitas se não és coerente na forma como comunicas.

[Bizy] Como é que as pessoas podem entrar em contacto convosco?

[Sofia, Histórias em Papel] Através das redes sociais ou email 😊 Para perguntas simples ou para saberem mais, aconselho o Facebook ou Instagram. Quando são orçamentos, tratamos sempre por email.

A Sofia Martins é uma das muitas mulheres empreendedoras que não desistiu ao primeiro desafio e que, acima de tudo, criou objectivos claros e atingíveis para o seu projecto.

Apesar da sua importância, os objectivos e metas são algo que poucos empreendedores estabelecem. Mas, como viram, ter objectivos faz toda a diferença!

Se ficou com vontade de conhecer melhor a Histórias em Papel ou conhece alguém que precise de convites e estacionário, visite as redes sociais: Facebook e Instagram. Para pedidos de orçamento, pode enviar um email.

Deixe um comentário

Olá 👋 Podemos ajudar?