Qual a diferença entre Storytelling e Copywriting?

Achas que escrever para marcas é apenas… escrever?

Já pensaste bem nas variáveis que vão influenciar o tipo de escrita, consoante o objeto da comunicação?

Ainda achas que storytelling e copywriting são uma e a mesma coisa?

Neste artigo vamos falar acerca da diferença entre copywriting e storytelling.

O que é Storytelling?

A tradução literal de storytelling é “o ato de contar uma história“.

“Uma história? Como as infantis??”

Também, sim!

As regras do storytelling quando falamos da escrita para marcas não diferem do storytelling da escrita para crianças ou adultos.

Contar uma história é pintar um quadro com palavras.

É criar uma narrativa que faz com os teus leitores mergulhar na visão do teu negócio.

“Ok, mas… porquê contar uma história?”

Porque as histórias ajudam a compreender mensagens.

Lembras-te das fábulas de la Fontaine?

Através de um imaginário criativo, eram abordados dilemas éticos e morais, que acabavam por, de um modo simples, ser compreendidos até por uma criança.

Ao ter animais a protagonizar comportamentos humanos, a história vem simplificar mensagens complexas e materializar o abstrato.

Pegar em conceitos de difícil compreensão e desmontá-los de modo a serem compreendidos por todos é uma das maiores forças do storytelling.

O vídeo abaixo é um excelente exemplo de storytelling na publicidade:

Qualquer um de nós, num momento ou outro, já se reviu na metáfora presente no anúncio (a antecipação e o nervosismo antes de dar o salto para o desconhecido/arriscar um beijo).

O nevoeiro que os cerca é a incerteza que dá depois lugar ao sol e à consolidação do momento.

Claro que há aqui uma intenção subjacente de tomada de ação, mas que não é evidente.

O que interessa é que a história que nos foi contada torna a marca mais humana e nos aproxima dela, pois demonstra que ela nos compreende, que é transparente e autêntica.

O que é Copywriting?

Se storytelling é pintar um quadro com as palavras, copywriting é vender com as palavras.

É seduzir.

A intenção clara do copywriting é levar à ação.

O copywriter tem de, de acordo com o objetivo de marketing, saber como apelar ao público alvo, de modo a que este complete a ação desejada.

Como? Usando a estrutura AIDA, que já abordámos no artigo “Fórmula AIDA”:

  • A – Atenção: Captar a atenção do potencial cliente para que ele tome consciência da tua marca;
  • I – Interesse: Criar um interesse no teu produto ou serviço que desperte a vontade de saber mais;
  • D – Desejo: Despertar o desejo de compra;
  • A – Ação: Fazer o teu potencial cliente agir/interagir.

Diferença entre Storytelling e Copywriting?

“No mundo moderno dos negócios, é inútil ser um pensador criativo e original, a menos que você também possa vender o que cria.”

David Ogilvy

A base de um bom copywriting é um bom storytelling.

Na realidade, o storytelling está, atualmente, na base de quase toda a comunicação de uma marca uma vez que, sendo uma comunicação relacional, leva a que o leitor se sinta tremendamente identificado com a narrativa que lhe está a ser contada e se sinta motivado a agir.

No entanto, apesar de o copywriting ter por base o storytelling, já é percetível que estes dois conceitos não são a mesma coisa.

Vamos então perceber qual a diferença entre storytelling e copywriting.

Na imagem abaixo conseguimos perceber que é a interseção do storytelling com a estratégia de marketing que vai definir se estamos perante copywriting ou não:

storytelling e copywriting



Autoria de Carla Cardoso

Se a estratégia de marketing passar pelo aumento da notoriedade e alcance da marca, estamos perante marketing de conteúdo, que é relacional e tem como objetivo principal dar a conhecer a marca e a criar maior envolvimento com o público-alvo.

Mas, se a estratégia tem como objetivo a venda, então sim, a sua interseção com o storytelling vai dar origem ao copywriting, que é, na sua essência, persuasivo e inspira a ação.

O copywriting está de tal forma intrinsecamente ligado às vendas que, muitas vezes, o termo “sales copy” é usado para designar o mesmo tipo de narrativa.

Onde podemos usar Copywriting?

Estes são apenas alguns exemplos de onde podemos usar copywriting:

  • Conteúdo de um website ou blog
  • Anúncios digitais
  • Email marketing
  • Conteúdo de redes sociais
  • Landing pages
  • E-books

Há muito trabalho por detrás do copywriting.

O texto tem de se apoiar no storytelling, de modo a criar uma história criativa e apelativa, que capte a atenção e cujo argumento de vendas seja de tal modo cativante que desperte a curiosidade e leve à ação.

Conclusão

Imagina que um copywriter é como um mecânico.

Que tem à sua disposição uma série de ferramentas que o ajudam a fazer o seu trabalho (criatividade, persuasão, psicologia do consumidor), sendo que o storytelling é uma delas.

Agora que já sabes qual a diferença entre storytelling e copywriting, já decidiste qual a estratégia de comunicação que vais adotar para atingir o teu público?

Deixe um comentário